Empreendedorismo materno: uma força transformadora e crescente em nosso país
empreendedorismo materno

Empreendedorismo materno: uma força transformadora e crescente em nosso país

Vamos imaginar uma linha do tempo:

Década de 30/40 e 60:

As mulheres, majoritariamente, viviam para cuidar do lar e dos filhos. A grande maioria não trabalhava fora, e se o faziam, levavam os filhos junto para o labor. Fazia parte daquele contexto, integrar os filhos desde muito pequenos ao trabalho de sustento da família.

Década de 70/80 e 90:

As mulheres passaram a sair, cada vez mais, para o mercado de trabalho. Especialmente com o advento do estabelecimento das indústrias no país precisava mais e mais de mão de obra.

A partir daí, o mercado expandiu as possibilidades e as escolas e creches começaram a “borbulhar” por todas as cidades do país, devido à nova demanda no regime de trabalho. Deixar o filho na escola em período integral começou a ser a única saída para mulheres que precisavam contribuir com a renda para o sustento da casa e não tinham mais o privilégio das mulheres de outrora, que podiam levar os filhos junto consigo.

Década de 2000 até os nossos dias:

Nunca se viu uma mistura tão grande dessas duas realidades de modo de vida e trabalho distintas, mas que correspondem à mesma necessidade das mulheres: serem mães.

É crescente o número de mulheres que optam por deixar o trabalho para ficar em casa cuidando dos filhos, especialmente num contexto como o nosso, que inaugura um período de violências, abusos e ideologias nunca visto antes em nosso país.

E é aqui, nesse “novo mundo” que surge um novo cenário para as mães modernas: o empreendedorismo materno.

Vem crescendo, e muito, um tipo de mercado pensado para mães que querem cuidar pessoalmente dos filhos e querem também ter o seu próprio negócio.

E a característica mais marcante e especial desse ramo é a possibilidade dos mais diversos produtos e serviços que as mães podem oferecer: passando por variedades culinárias, artesanato e matérias de decoração, até prestações de serviços como consultorias, treinamentos e serviços gerais.

É uma gama muito extensa de serviços de qualidade e feitos por mães que decidem cuidar pessoalmente da criação e educação dos filhos. Ou seja, pessoas dedicadas e comprometidas com suas responsabilidades.  Quer um tipo de profissional melhor do que esse?

Ademais, esta opção de negócio é vantajosa não apenas para as mães, os filhos e os clientes destas empreendedoras, mas para toda a sociedade civil: afinal de contas, o que será do nosso país sem a primeira condição para que ela exista, os filhos?

Fonte: Laço Criativo

Deixe uma resposta

Fechar Menu