7 dicas para um melhor comportamento infantil
comportamento infantil

7 dicas para um melhor comportamento infantil

A disciplina positiva é um tema cada vez mais presente na vida de pais e cuidadores, principalmente para quem busca um melhor comportamento infantil. Estou adorando aprender um pouco mais sobre esse tema com a nossa colunista Telma, educadora parental.

Nesse post, ela nos ensina como conseguir que a criança tem um melhor comportamento e claro, depende muito de como nós, adultos, lidamos também com nossas obrigações. Com essas dicas, a ideia é ajudar que pais e filhos tenham uma rotina mais leve e feliz. Adorei!

 

DICAS PARA UM MELHOR COMPORTAMENTO INFANTIL

Quem é pai e mãe sabe que, a rotina e a correria do dia a dia podem nos devorar fisicamente e emocionalmente e por isso, precisamos aprender a administrar muito bem o tempo para conseguirmos fazer tudo o que precisamos incluir nas nossas preciosas 24 horas do dia. Entre os cuidados com a casa, as obrigações do trabalho, os cuidados com os filhos, com uma alimentação saudável, lição de casa, muitas idas e vindas da natação, do balé, do futebol e tudo o que inclui os deveres de uma vida em família, temos que tomar muito cuidado para que o dia a dia não vire um grande campo de batalha. Sim. São muitas obrigações. E diante dessa realidade, muitas vezes, pode ser bastante desafiador conseguirmos manter o equilíbrio necessário para educarmos nossos filhos da forma que eles realmente merecem. De uma forma harmoniosa, amorosa e respeitosa. Sobrecarregados de tantas obrigações, fica fácil explodirmos e nos tornamos um mal exemplo de controle emocional, além disso podemos acabar negligenciando algo que é fundamental darmos aos nossos filhos: um tempo de qualidade.

Quando as crianças se sentem amadas, aceitas e encorajadas pelos seus pais, além de se comportarem melhor, elas se desenvolvem com uma sensação de apego seguro, com espaço para expressar seus sentimentos e se mostrarem como realmente são, sem medo de julgamentos e críticas. Elas também terão maiores chances de se tornarem adolescentes e adultos mais responsáveis, mais colaborativos, com boa autoestima e que se realizam em diferentes áreas da vida. E foi pensando nisso, que escrevi essas dicas para ajudar você a lidar com os desafios de comportamento dos seus filhos e começar a ter um dia a dia mais leve e feliz. Confira:

 1.INVISTA TEMPO DE QUALIDADE COM CADA FILHO DIARIAMENTE

Com certeza, uma das melhores coisas que você pode fazer, para ver mudanças positivas no comportamento dos seus filhos, é passar um tempo de qualidade com cada um deles, todos os dias, dedicando a atenção positiva e a conexão emocional que eles tanto necessitam. Quando as crianças não recebem essa atenção positiva de forma proativa, elas tendem a buscar sua atenção de formas negativas. Dedique de 10 a 15 minutos por dia de tempo exclusivo para cada filho e você sentirá, rapidamente, uma grande melhora no comportamento indesejado. Nesse tempo que estiverem juntos, esteja presente de corpo e alma, deixe o celular de lado e se conecte emocionalmente com sua criança.

2. NÃO IGNORE A FONTE DO MAU COMPORTAMENTO

O mau comportamento recorrente pode ser um sintoma de um problema mais profundo, e quando entendemos a causa, poderemos usar estratégias mais assertivas para resolver o problema. A próxima vez que seu filho começar a se comportar mal, mantenha-se calmo e em vez de reagir de maneiras punitivas, pare por um momento e pergunte a si mesmo o que pode estar causando isso. A falta de afeto e conexão geram agitação e malcriação. Muitas vezes um beijo, um abraço silencioso, uma troca de olhar sincera e a sua presença emocional podem trazer uma solução imediata para o problema. Em vez de julgar o seu filho como uma criança terrível, que sempre se comporta mal, experimente se auto questionar “O que pode estar por trás desse comportamento? Qual necessidade emocional pode não estar sendo atendida e eu não estou percebendo?” Esse exercício pode trazer grandes descobertas e consciência para você.

3.TENHA ROTINAS BEM ESTABELECIDAS

As crianças precisam de rotina, pois além de facilitar o dia a dia, elas ficam muito mais tranquilas quando sabem o que está por vir. Estabelecer rotinas claras e bem definidas também ajuda muito a passar pelos momentos mais desafiadores do dia, como as manhãs antes de sair de casa para a escola, depois da escola, hora das refeições e a hora de ir dormir. Deixe seus filhos participarem da definição da rotina. “Vamos escovar os dentes ou vestir o pijama primeiro? Como você pode ajudar a preparar o jantar?”

Para crianças menores, crie um quadro de rotinas. Escreva a ordem da rotina usando figuras ou palavras e deixe-as decorar, pintar e depois pendure onde elas poderão ver todos os dias.

4. INCENTIVE SEUS FILHOS A SOLUCIONAREM SEUS PRÓPRIOS PROBLEMAS

Precisamos aprender a confiar na capacidade dos nossos filhos de resolverem seus problemas e também podemos ajuda-los a aprenderem a fazer isso. Por exemplo: Quando os pais entram no meio de um desentendimento entre irmãos e determinam quem é o culpado, quem é a vítima e sai distribuindo punições, isso na verdade só serve para piorar as coisas. As crianças entendem como um sendo o vencedor e o outro, o perdedor e isso só vai aumentar a rivalidade entre os irmãos. Incentive seus filhos a encontrar uma solução para o problema por conta própria, o que os ajudará a aprender a resolver conflitos à medida que se desenvolvem. Se você tiver que se envolver, não escolha lados, mas faça perguntas que os ajudem a descobrir uma solução que todas as partes possam se sentir bem. Exemplo: “Eu confio na sua capacidade de lidar com essa situação sozinho. O que você poderia fazer para resolver esta questão de uma forma respeitosa com o seu irmão?”

 5. COLOQUE REGRAS E DEFINA LIMITES CLAROS

Crianças precisam de regras e de limites claros. Estipule as regras que são inegociáveis para você. Determine uma consequência para cada regra e deixe claro para as crianças quais são essas regras e suas consequências. Persista e seja firme sobre fazer as consequências valerem de verdade. Por exemplo: O combinado é assistir TV por 40 minutos, se não desligar a TV no tempo combinado, você perderá esse privilégio por 2 dias.” Isso é uma consequência logica, coerente, respeitosa e não envolve castigos, mas sim cumprir com as regras da família.

6. USE O NÃO, APENAS QUANDO FOR REALMENTE NÃO

As crianças nos bombardeiam com inúmeras perguntas todos os dias e muitos de nós temos tendência a responder não, até mesmo para aquilo que poderia ser um SIM e isso pode deixar as crianças muito ressentidas.  Pense antes de dar sua resposta, use o NÃO apenas para que for realmente NÃO. Se for sim, diga sim de uma vez, com certeza será bem melhor e mais assertivo do que dizer não e depois esse não virar um SIM.

Use o “sim” sempre que puder. Se seu filho pedir para ir à piscina no meio de um dia de semana movimentado, tente dizer: “Ir para a piscina é muito divertido mesmo. Que tal irmos no sábado pela manha? “

Claro que sempre haverá coisas que precisarão de um grande “não”, e se for esse o caso, então mantenha sua posição.

7. SEJA UM BOM MODELO!

Seja o exemplo que você quer que seus filhos vejam, pois eles seguirão o seu modelo. Imagine que seus filhos estão falando sobre você com os amigos da escola. O que eles diriam? Que você é divertido, alegre e respeitoso? Ou que é mal-humorado, mandão e explosivo? Tente mudar sua energia simplesmente sorrindo mais, sendo mais leve, mais satisfeito. Isso ajudará você a se manter mais calmo em momentos de estresse, e seus filhos perceberão e manterão seu comportamento mais positivo também.

E lembre-se que, o segredo dos relacionamentos humanos, especialmente entre pais e filhos está em desenvolvermos uma relação de confiança, de empatia, de amor, de conexão e de perdão diário. Aceitar que somos únicos, que somos diferentes uns dos outros e que existe uma grande beleza nessas diferenças é a base fundamental para a prática da compaixão e do respeito mútuo, habilidades de vida tão importantes a serem desenvolvidas dentro da família e que mais tarde serão levadas para a sociedade e para o mundo em que vivemos.

Vamos juntos!

Fonte: Macetes de Mãe

Deixe uma resposta

Fechar Menu